TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

PESQUISE ESTE BLOG

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

2010

A data da chegada está determinada
A data da partida também
Mas o que cada um faz com sua vida não

Que em 2010 percamos menos tempo com o que passa
E vivamos o que nos torna melhores

Escolhas estão o tempo todo em nosso destino
Destino que tecemos no decorrer do tempo

Tempo que não controlamos
Mas que amadurece o que de bom fazemos
E nos tira as escolhas que adiamos

Ala

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Vampiro

Você explora o que de melhor tenho
Minha generosidade e compaixão
Deposita sobre meus ombros seus pesos
Acredita que suportarei e o acolherei

Sempre faço
Sempre me arrependo

Suas emoções deixa transbordar
Assim como as mantém
Não suporta e prefere invadir meu limite
Não se importa comigo

Quer apenas tomar o que não é teu
Para se aliviar
Para dominar
Para fazer realizar o que quer

Vampiro

Utiliza minha energia
Devora meu querer
Obriga a ceder por lhe amar
E não querer lhe ver chorar

Traidor

Ama de um jeito incompleto
Amo de um jeito incompleto

Não acredito em sua força
E por isso perco a minha

Tenho que mudar
Começar a acreditar em teu poder
E resgatar o meu

Ala

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Contando uma História

O que você faz quando está triste? Vou lhe contar o que eu faço.
Quando meu coração aperta e as lágrimas não param de rolar eu fico quieta, deixo todas as lágrimas descerem e o coração apertar até seu limite máximo, porque sei que assim que não aguentar mais terei ido o mais fundo que posso e é neste limite que encontro impulso para sair. E sempre saio mais forte e mais lúcida, sempre alguma resposta eu encontro. Fica mais claro qual a razão do meu sofrimento.
Aprendi a não temer minha tristeza, pois acredito que tem sempre uma boa dica a me dar a respeito do caminho que devo seguir ou das escolhas que devo mudar. É uma bússola, não há perigo nela. O perigo só existe quando o sentimento depressivo toma conta de tudo e a vida perde seu sentido, aí é hora de ficar em alerta.
Este mundo não é fácil para nós mulheres. Temos muitos deveres, muitos medos, nosso corpo muda várias vezes durante a vida, não conquistamos todos os direitos que precisamos e nossa identidade feminina ainda está incompleta. Mas estamos aqui vivendo e se não somos respeitadas ou compreendidas como gostaríamos precisamos continuar e não fazer conosco o que nos fazem. Ser mulher é viver muitas emoções e desfrutar de muitos papéis e isto é rico demais e não podemos perder esta oportunidade.
Se a opressão lhe aflige, se seu corpo não está como gostaria, se seu companheiro não a enxerga devidamente não se perca em sua tristeza, mas mergulhe nela e se pergunte por quê. Peça ajuda quando precisar e faça por você o que precisa. Tome sua vida em suas mãos e seja quem você quer ser. Se for assim o respeito e admiração virão, pois o brilho de quem se assume é visível e poderoso. E acima de tudo conquistará sua paz de espírito.
Olhe-se no espelho, observe seus olhos e perceba como estão. Eles lhe mostrarão o que precisa e como deve prosseguir. Cuide-se, trabalhe a seu favor, como um ser humano íntegro e único. Faça parte deste mundo como ele é e encontre seu espaço de mulher e viva, mas viva para crescer, não para agradar alguém. Viva para ser feliz. Viva e faça de sua vida algo que vale a pena ser vivido.

Ala.

ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.