TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

PESQUISE ESTE BLOG

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Para Meus Filhos


Sei que um dia não estarei mais aqui e como não sei quando será este dia, quero deixar alguns lembretes para vocês, meus filhos. Podem guardá-los numa agenda, afixar na porta da geladeira ou em seus corações. Como quiserem!

1- Sempre olhem para os dois lados da rua quando forem atravessá-la. Nunca se sabe quando um desavisado está ao volante;

2- Levem consigo um agasalho e um guarda-chuva, pois o tempo pode mudar;

3- Tenham sempre algum dinheiro extra na carteira, para eventuais emergências;

4- Não andem na rua sozinhos depois da meia noite, pode ser perigoso;

5- Não reajam a um assalto. O ladrão tem tanto medo de morrer quanto vocês;

6- Paguem sempre suas contas, pois dívidas pesam no bolso e na alma;

7- Não temam o mal, pois o bem sempre é mais forte, não por uma questão filosófica, mas porque sua vibração é muito mais rápida;

8- Acreditem em seus sonhos. Se assim o fizerem, conseguirão realizá-los;

9- Tenham sempre em casa um vaso com flores, alegra a alma e harmoniza o ambiente;

10- Sejam amigos entre si. Eu os tornei irmãos, mas vocês devem se transformar em amigos, para sempre;

11- Riam muito, contem piadas ridículas, são as melhores;

12- Encontrem-se muitas vezes e falem sobre o que sentem, pensam e desejam para suas vidas e nunca se esqueçam de ouvir;

13- Pensem em si, mas lembrem-se que nada se constrói sozinho. Saibam conviver em grupo;

14- Não deixem que os maltratem e não maltratem ninguém, não é bom;

15- Comam pouco, mastiguem devagar e muitas vezes. Se estiverem com pressa, prefiram uma refeição leve, talvez uma boa vitamina mista batida com iogurte;

16- Quando resolverem se casar escolham bons parceiros. Antes de decidirem, vivam com eles grandes dificuldades, quem for companheiro nesta hora, deverá ser o eleito. Cuidado com as paixões;

17- Não me julguem, pois só poderão fazê-lo quando passarem por tudo que passei, enfrentarem os desafios que enfrentei, tiverem que fazer escolhas que fiz e souberem o que é ter um filho;

18- Cuidado com a inveja, ela engana, pois revela que não estamos bem conosco e não com o outro;

19- Quando estiverem juntos, prefiram conversar na cozinha, comendo uma fatia de bolo de milho com manteiga, tomando uma caneca de café com leite, assim é muito mais aconchegante. Afeto não deve faltar entre vocês;

20- Quando brigarem digam sempre o que pensam, não escondam nada. A chance de resolverem na hora suas pendências é maior;

21- Vivam tudo intensamente e com profundidade. Sintam a felicidade na sua totalidade e quando estiverem tristes chorem até a última lágrima, pois tudo passa, o que fica é o que conseguimos guardar em nosso coração;

22- Eu amo vocês.

© Direitos reservados a Ala Voloshyn



Ilustração: Foto de Cristina Dias. ( https://www.facebook.com/crishelenadias )







quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Fidelidade

Fidelidade.
Palavra bonita, mas o quanto é entendida?
Eu sei que cada um tem seu repertório para entendê-la, e talvez por isso existam infindáveis definições. Posso falar do que significa para mim e sei que seu significado mudou inúmeras vezes no decorrer de minha vida, mas hoje quando penso nela só vem à minha mente a imagem do filme ”Sempre ao seu Lado”, o cão esperando por seu dono que morreu. Aquele cão não o via mais, mas o que o mantinha ali todos os dias de sua vida era sua fidelidade. Não uma fidelidade obediente de quem recebeu uma ordem, mas de quem havia firmado um acordo de estar sempre ao seu lado.
Quando nós seres humanos nos referimos ao acordo pensamos em papel assinado, verbalizado, claro para nossa mente concreta, no entanto, existe um outro tipo de acordo, aquele que ninguém diz nada, mas que nasce espontaneamente em nossos corações e que define o tipo de relação que firmamos com alguém. Naturalmente a essência da relação se estabelece e sem que ninguém diga ou cobre ela permanece. Mesmo que o tempo mude as circunstâncias o acordo vive e guia.
Hoje, fidelidade para mim é este acordo invisível que não muda, mesmo que tudo mude. É a fidelidade do coração puro que não busca nada, não barganha, não se impõe, mas permanece vivificando o acordo original.
Às vezes me entristeço por perceber o quanto “tudo depende”. Depende do dia, da vontade, da segurança, dos interesses, tudo depende. Dependendo do que for a fidelidade muda e o acordo é sacrificado e cada um que se resolva como puder. É uma pena que na maioria das vezes não se consiga enxergar além do egoísmo e da covardia, palavras irmãs, no meu entender. E é por isso que quando se estabelece um acordo firmado na fidelidade é tão ímpar, tão importante, tão bom.
Quem conseguir estabelecer este acordo silencioso e o manter tem motivos para acreditar que segura em suas mãos uma jóia rara, única, eterna, que brilha como um diamante lapidado que o tempo não modifica e não leva, pois acordo puro entre corações puros e corajosos não morre jamais.

© Direitos reservados a Ala Voloshyn

Ilustração: Poster do filme "Sempre ao seu Lado".

ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.