TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

PESQUISE ESTE BLOG

domingo, 27 de maio de 2012

Deus do Trovão


Seu nome é forte e sonoro, quatro letras o definem.
Thor, menino bonito e misterioso, seus sonhos me conta
e assim fico sabendo da bondade que ilumina sua alma.











Ilustração: meu filho Thor

Amêndoas Doces

Seus olhos amendoados
entendem os animais,
enxergam mais longe que imagina.
Revelam sua esperança
de um dia vê-los como quer,
pacíficos e amados,
sem perderem a mão de quem os afaga.



Ilustração: minha filha Maya

Minha Criança


criança, minha criança
que seu riso seja eterno
que sua fala seja pura
que seu olhar brilhe como uma estrela
que sua vida seja como um rio limpo
que sua paz embale meu sono
que sua alegria encante minha alma









Ilustração: minha filha Ametista quando pequenina

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Do Futuro



Quando surgem não são entendidos, trazem o futuro imprimindo sua marca em tudo.

 É preciso aguardar o passar do tempo para que suas palavras façam efeito.

 Não esperam acolhimento, aparecem para semear e confiam que em solos férteis suas ideias germinem dando continuidade à evolução.








Ilustração: Google

E Daí?


Já fui trocada por riqueza,
outra cama,
comodidade,
fama.

Já fui rejeitada,
desvalorizada,
abandonada,
tiranizada,
enganada.

O que fazer com isto?

Nada,
continuar a caminhada.


Ilustração: Google

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Canção de Mulher



                                                                                                                                                                             

Pela manhã ele foi ao seu jardim e lá viu uma linda rosa vermelha. Todo admirado colheu-a e levou para sua mulher. Ela, encantada, agradeceu e o beijou com paixão. Então ele entendeu: o homem que deseja o amor de sua amada deve aprender a cultivar rosas.








 

domingo, 13 de maio de 2012

Metamorfose


Desisto de procurar satisfação em qualquer relação
Penso que não encontrarei
Ninguém é perfeito
Nem eu
É melhor me recolher
E achar dentro de mim mesma o que procuro.





Ilustração: Google 

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Adele e Susan Boyle

Adele


Adele Laurie Blue Adkins, conhecida hoje como Adele e Susan Boyle, duas mulheres fora de um padrão de beleza, onde a estética feminina tem em seu estereótipo uma plástica antinatural e monótona pela imposição das suas formas. Mesmo com a insalubridade em que vivemos precisamos ser belas, fortes, competitivas, realizadas, sem perceber este mundo artificial e contraditório. E de repente, surgem Adele e Susan emocionando com suas vozes plenas de uma força emocional que não estamos muito acostumados, devido ao automatismo e a indiferença que nos habitam ameaçando nossa integridade o tempo todo.
O que faz com que estas duas mulheres chamem tanto assim nossa atenção? Adele apareceu muito jovem e obesa e Susan, já mais madura e sem nenhum atrativo estético. Adele saía de um relacionamento amoroso e compôs suas músicas para lidar com sua frustração e Susan vinha de muitos anos sem trabalho e uma relação familiar complicada. Elas vieram com uma força que sai de dentro e quando soltam suas vozes tocam cada um que as ouve bem lá no fundo da alma!
Mulheres fortes! Hoje belas dentro de seu padrão estético, plenas, colhendo bons frutos pela coragem de serem quem são, pois a verdadeira força e beleza estão apoiadas no respeito pela própria natureza, mesmo que o caminho para adquirir consideração seja longo, especialmente quando se resiste em assumir máscaras impostas.
 Nós mulheres cada vez mais desenvolvemos um comportamento competitivo, puramente racional e assim negligenciamos com o que necessita de cuidados, sensibilidade, e uma atitude de característica feminina, que nada mais é que cuidar de tudo aquilo que vive, manter a vida íntegra, manter o Fogo Sagrado que arde em tudo e em todos. Não importa qual seja o papel social assumido. Não importa a idade, etnia, estado civil, enfim, não importa o que fazemos, e sim, a maneira como fazemos, isto define nossa natureza. A flexibilidade, sensibilidade, profundidade no pensar, sentir e a atitude de manter a vida incorruptível e em evolução são características que nós mulheres não podemos deixar perecer. Talvez o que atraia nesta força feminina através das vozes de Adele e Susan seja o despertar em nós a lembrança do que de verdade somos: humanos.
É muito bom ver este movimento de descongelamento, espero ver muito mais e poder acreditar em mudanças íntimas gerando uma força motriz capaz de nos direcionar para uma vida melhor, mais ampla e bela.

Para você:

Adele:
http://youtu.be/w44dk4ysnz8


Susan Boyle:
http://youtu.be/_HO15k3vpPY


Ilustrações: Adele e Susan Boyle / Google
                                 

ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.