TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

PESQUISE ESTE BLOG

terça-feira, 27 de maio de 2014

O Injustiçado "Não"

google
O "Não" é um incompreendido, desvalorizado, rejeitado, achincalhado, e mais todos os sinônimos que se possa imaginar. O "Sim", não, esse é um querido, admirado, traz alívio e contentamento. Todos querem, poucos questionam.
Venho aqui em defesa do "Não", pois não posso permitir que tamanha injustiça permaneça sem que tenha ajuda. Quando ele se manifesta sempre é por uma opinião convicta, pode até ser questionável, nem tão louvável, como a de um covarde, por exemplo, mas, sem dúvida, existe plena certeza na posição. Há sinceridade nisto! Ele é capaz de impedir o bom andamento das coisas, eu sei, mas desperta coragem e empenho, existe algo melhor que isso?! Às vezes faz chorar, mas de que forma saberíamos dos nossos sentimentos mais profundos se não chorássemos? Gera teimosia, quando aquele que ouve não admite sequer refletir sobre suas razões, aliás, saber o motivo não é o forte de quem ouve o meu queridinho  "Não", geralmente surgem milhares de interpretações, uma mais cabeluda que a outra. Todas reflexo de quem as faz, é claro! Poucos perguntam "por que", se o fizessem saberiam a causa, que pode ser  nobre. Se existisse apenas o "Sim" seriamos mimados, faríamos, cada um no seu ritmo e vontade, o que mais nos agradasse e o nosso mundo seria insustentável! Milhares de quereres sem tolerância, limites ou bom senso. Quem pensa que os obstáculos são um mal que deve ser banido das nossas vidas, se engana, pois são os limites que nos obrigam a procurar uma resposta melhor do que aquela a que estamos acostumados. É através de sua barragem que o "Não" nos projeta à evolução que precisamos. É com ele que é possível descobrir coisas importantes, pois se tivéssemos apenas o "Sim" como resposta não teríamos motivo para buscar o novo. De certa forma, precisamos vencer o nosso primeiro desafio, a preguiça.
Poderia escrever e escrever para defender o "Não", mas parece-me de bom tamanho minha defesa e assim me despeço, desejando que não se indisponha com o próximo "Não" que receber, mas se esforce por isso, para ser melhor do que já é.
 © Direitos reservados a Ala Voloshyn

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.