TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

* Jornal Enfim: desde 2010
http://jornalenfimscs.wix.com/jornal



PESQUISE ESTE BLOG

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Tem Coisas que Não se Confessa Nem ao Terapeuta


É muito comum fazermos avaliações bem superficiais sobre os motivos de fracassos em nossas vidas. O sucesso sempre é atribuído a nós, mas o restante é responsabilidade do outro. Isso acontece com todos. É um festival de culpar alguém ou alguma coisa. Mas se fracassarmos mais uma vez em culpar e fizermos um exame de consciência, bem quietinhos na cama, em mais uma noite de insônia, perceberemos  que há o que não se  confessa nem ao terapeuta. Os terapeutas que me perdoem, mas nem tudo se diz,  a verdade é algo que se assemelha a um garimpo, exige paciência, empenho e não se alcança algo de valor da noite para o dia. Além do que, há o que só interessa a cada um, tamanha sua intimidade.
O que você não diria nem ao seu terapeuta? Isto eu não sei, mas está claro para mim que eu não revelaria aquilo que descobri, pela vergonha que me causa. Quantas vezes na pressa de resolver uma frustração não embarquei na primeira situação que me parecia saciar minha vontade e acabei me deparando com consequências bem desastrosas. Erros de abordagem, é melhor classificar assim. Sem culpas, afinal, de culpados este mundo já está cheio. Melhor dizer, responsáveis por suas escolhas e resultados.
Quando podemos confessar para nós o inconfessável é sinal de que estamos prontos para promover mudanças importantes. Ao saber exatamente o que gerou o engano é fantástica a consequência. É possível mudar o rumo das coisas e este engano não se comete mais. Isto requer coragem de se olhar de frente e admitir para si mesmo que foi um engano, de que se depositou a felicidade em algo ou alguém e pensar desta forma é se decepcionar mais cedo ou mais tarde, pois não é por aí.
Vasculhar dentro de si os próprios motivos não é tarefa simples, pois nossa mente tem labirintos onde encontrar a saída nem sempre é rápido, mas vale a pena, pois somente desta forma podemos construir um mundo interno melhor e por consequência o externo torna-se seu reflexo. Vale a pena confessar a si o inconfessável para poder fazer parte desta vida que requer empenho para promover mudanças que fazem evoluir, mesmo que seu terapeuta nunca saiba disto.
© Direitos reservados a Ala Voloshyn


ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.