TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

PESQUISE ESTE BLOG

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Minha Boneca

Tenho uma boneca. Não faz muito tempo. Na verdade, vi uma igualzinha com uma amiga, que mostrou-me uma linda boneca de sua paciente. Fiquei encantada! Depois de umas semanas, para minha surpresa, encontrei "minha boneca"!
Não é uma boneca qualquer. Tem dois atributos que gosto muito: é uma caixinha de música e bailarina!
Você deve estar pensando, por que uma mulher de sessenta anos se encanta com uma boneca? Mas é que você não entendeu que ela é especial! Todos nós temos algo que consideramos especial. Para mim é esta boneca, pelo significado que representa. Ela simboliza um sonho de infância!
Quando eu era menina, queria ser bailarina. Este era meu sonho, meu encanto, minha vontade mais forte. Vivia dançando pela casa, fingindo ser uma bailarina em cima do palco. Conseguia até imaginar a música e dançar seguindo seus compassos. Adorava as roupas, sapatilhas, enfeites de cabelo! Tudo, tudo me fascinava! Via-me adulta num corpo de ballet. Assim passei algum tempo, imaginando e dançando minhas coreografias, mas ninguém me dava atenção. Ninguém mesmo! Minha mãe, sempre atarefada me tinha pelas costas, meu pai cansado do trabalho, dormia na poltrona enquanto eu dançava para ele. E assim, meu sonho ficou no mundo dos sonhos. Jamais o realizei. Outros sonhos vieram, mas o mais importante ficou guardado dentro da menina, que sonhava ser bailarina.
Anos e anos se passaram e eu sempre trazendo em meu coração a bailarina que não saiu de dentro de mim. Por isso não é difícil de compreender porque fiquei tão encantada com minha boneca, caixinha de música/bailarina, quando a encontrei! Ela representa muito para mim.
O mais interessante disso é que só agora, bem agora, depois de tantos anos é que fui me dar conta do por que não realizei este sonho. Simples! Eu nunca fiz nada por ele! Eu nunca disse aos meus pais que queria ser bailarina. Eu nunca pedi que me colocassem em uma escola de ballet. Eu nunca expressei meu sonho! Como poderia realiza-lo?
Hoje minha boneca está perto de minha mesa de trabalho, bem visível, para que eu nunca me esqueça daquela menina que fui. Que deixou seu sonho morrer. Para me lembrar em não mais repetir isto! Por isso hoje fidelizo, com muita categoria e convicção, um outro sonho que trago em meu íntimo. Faço o melhor que posso para realiza-lo. Não o deixarei morrer! A maturidade traz consigo a responsabilidade de não deixar o tempo passar, sem que se faça exatamente o que determina o coração!

ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.