TEXTOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

PESQUISE ESTE BLOG

sexta-feira, 31 de março de 2017

Terminará

durante a tempestade mantenha-se firme no leme
tempestades não são para sempre

sexta-feira, 10 de março de 2017

O Tempo que Não Vivemos



A vida é complexa! É assim pela sua diversidade de oportunidades plenas para viver e aprender, com desafios, surpresas, benevolências, tristezas, alegrias. Tudo seguindo um ritmo compassado, sem nada pra tirar nem por. Mas nem sempre vivemos, embora o coração continue batendo e a respiração se enxerga. No físico estamos vivos, mas a alma mergulha num abandono sem piedade quando negamos oportunidades que não esperávamos, quando recusamos viver o que nos coloca em conflito, o que nos impele a lutar ou fazer escolhas, às vezes duras, mas necessárias. Quando afastamos quem não entendemos ou preconceituosamente rejeitamos. Quando dizemos palavras venenosas e pungentes para dilacerar um coração, por cólera ou orgulho. Quando abandonamos por medo de encarar o que nos parece perigoso e não enxergamos ali mais uma chance de evoluir e sair da mesmice neurotizante.
Desorganizamos a vida com olhar egoísta e por isso míope. Tanto pra viver, conhecer, aprender, por que então negamos o banquete generoso que nos é oferecido por puro amor? A vida é tecida com fios amorosos em toda manifestação! O amor impera nas circunstâncias, sejam agradáveis ao nosso ego ou não.
O que vale não é exatamente o que preferimos, mas o quanto conseguimos crescer na diversidade, generosamente posta, para  morrermos melhores do que quando chegamos a este mundo tão bem construido e amado. Para que possamos, cada vez mais, manifestar o belo e nobre do humano em nós. Sempre que destruímos novas vivências, por não identificarmos sua importância perdemos o momento precioso. Também é possível não permitirmos o resgate do que rejeitamos quando o quisermos, pois nem sempre haverá tempo disponível para isto.
Vivamos o que surge, é Vida!


segunda-feira, 6 de março de 2017

Foi Pouco

 O tempo foi pouco ou diminuímos o pouco que tínhamos?
Foi pouco e diminuímos o pouco que tínhamos.
Mas o pouco tornou-se muito
E o muito tornou-se para sempre.


ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.