DIREITOS AUTORAIS

Todos os textos aqui publicados são de autoria de Ala Voloshyn.
Direitos autorais são protegidos pela Lei 9.610, de 19 de Fevereiro de 1968.

ONDE MAIS O QUE ESCREVO É LIDO

* Jornal Enfim: de 2010 até final de 2017
http://jornalenfimscs.wix.com/jornal

*Carlotas:

* Jornal Imprensa ABC: desde julho de 2018
www.imprensaabc.com.br





PESQUISE ESTE BLOG

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

E Se Não Existissem?


     E se não existissem os pobres, o que seria dos abastados?
     E se não existissem os famintos, o que seria dos empanturrados?
     E se não existissem os ignorantes, o que seria dos hipócritas? 
     E se não existissem os oprimidos, o que seria dos onipotentes?
     E se não existissem os agredidos, o que seria dos valentões?
     E se não existissem os ingênuos, o que seria dos mentirosos?
     E se não existissem os ambiciosos, o que seria dos trapaceiros?
     E se não existissem os carentes, o que seria dos sedutores?
     E se não existissem os burocratas, o que seria dos omissos?
     E se não existissem os gulosos, o que seria dos mercadores?
     E se não existissem os preguiçosos, o que seria dos tiranos?
     E se não existissem os egoístas, o que seria dos corruptos?
     E se não existissem os covardes, o que seria dos déspotas?
     E quanto falta pra acabar esse excesso de curiosidade? Pensa você.
     Eu, parei.
     Fica por sua conta continuar...

                                                         © Direitos reservados a Ala Voloshyn

domingo, 2 de setembro de 2018

Parceria


Turva é a jornada
Quando ausente a unidade

O que não soma
O que não harmoniza
Vida empobrece
Ânimo minimiza

Unir é meta
Para expandir 
Iluminar
Construir

Numa semente há toda a vida
Que germina 
Com a união de suas partes
Num único propósito
Vida expandir

Na união de almas
A parceria se alinha em sintonia
Maiores se tornam
Para mais vida parir

                                                                © Direitos reservados a Ala Voloshyn

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Terra Brasilis

                                      Meu sangue vem do Leste Europeu
                           Mas meu coração nasceu em Terra Brasilis
                           Brasa ardente
                           Brasil brasileiro
                           Berço de um povo abençoado
                           Nascente da civilização dourada incandescente.

                                                                                                  © Direitos reservados a Ala Voloshyn  

sábado, 31 de março de 2018

Coisas de Nós

num sei quem é mais besta...
se tu ou eu que tô com tu!
 
© Direitos reservados a Ala Voloshyn   

quinta-feira, 15 de março de 2018

Nascemos para Vencer


Todos, sem distinção, nascemos para vencer, assim como São Jorge vence o dragão para salvar a princesa. Temos o destino selado que trazemos em nosso intimo a solicitar seu cumprimento, vencer os dragões de nossas ignorâncias, que nos incitam para baixo, para a vida cativa e sem brilho.
Somos o São Jorge que enfrenta o dragão e o vence para salvar e preservar a princesa, sua alma, que é elevada a cada dragão enfrentado, dominado e transmutado.
Vencedores de nós mesmos é o nosso dever.
Assumamos o papel que nos cabe!

 © Direitos reservados a Ala Voloshyn

domingo, 11 de março de 2018

Senti

    Noite sem luar nem estrelas.
Escuridão e chuva forte.
E eu no quarto de hotel fechado, abafado.
Demoro para dormir, escorre o suor, mas a janela não posso abrir.
De repente um ar frio sinto chegar do armário.
Um perfume doce espalha-se por todo lugar.
Não vejo nada.
Gelo, não sei o que acontece.
Cada vez mais o perfume envolve tudo e eu a suar frio.
Medo é o que sinto.
De súbito, tudo cessa, o vento, o perfume, o medo.
Olho para o armário e nada vejo.
O que aconteceu, sonhei?
Não!
Senti!

© Direitos reservados a Ala Voloshyn

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Espelho, Espelho Meu

Não sei o que faço aqui. Cidade estranha, não há prédios e ninguém. São espelhos entrelaçados, me vejo em todos os lados. Por onde tento sair, não consigo, existe sempre um espelho a me confundir. Louca imagem de mim mesma. Um jogo de espelhos e não posso me achar.
Por onde ir? Por onde sair?
E por que sair? Escolho ficar. Silencio, me entrego a mim.
Sinto, ouço, percebo o compasso do meu coração e aos poucos tudo se integra. Espelho por espelho, ladeados a formar um corredor que me indica que o caminho de fora é o caminho de dentro.
Saí!

© Direitos reservados a Ala Voloshyn

ARQUIVO DO BLOG

NOTA

As fotos utilizadas neste blog são da web ou de amigos, como Bell Felipe, Jac Rizzo (http://jacrizzo.blogspot.com), Adriane (http://tramasecacos.blogspot.com). As telas de pintura são de minha autoria.